Com duas vertentes, a decoração inteligente pode ajudar a otimizar espaços e a transformá-los com auxílio da tecnologia

Decoração inteligente
(Foto: Reprodução/Pinterest)

Uma boa decoração pode agregar mais valor a um ambiente, refletindo a personalidade e até elevando a qualidade de vida de seus moradores. Dentro das diversas possibilidades que a prática de adornar a casa proporciona, há uma nova vertente capaz de otimizar espaços e trazer modernidade ao cômodo.

O conceito de decoração inteligente apresenta duas linhas que podem ser aplicadas em diferentes ambientes por meio de diversos itens, como móveis, iluminação, quadros e sistemas de segurança.

Para investir nesse tipo de decoração, é preciso conhecer as duas linhas que o conceito engloba e compreender como o uso de alguns objetos pode ajudar a transformar um ambiente exaltando criatividade, personalidade e modernidade.

Decoração inteligente: otimização de espaços

Quem reside em imóveis pequenos sabe que qualquer espaço livre faz toda a diferença na rotina de uma pessoa. No entanto, com a quantidade de itens disponíveis e o tamanho do ambiente, a tarefa nem sempre é fácil.

Nesse contexto, surgem ideias inovadoras para mudar o cômodo de uma forma prática e versátil. A otimização é o uso de móveis e objetos convencionais que desempenham multifunções e ajudam a ganhar mais espaço de maneira inteligente.

Os principais itens usados nessa proposta são as camas, mesas, bancos e cadeiras. Além de essenciais para o dia a dia da casa, eles funcionam como objetos de decoração com capacidade de armazenamento. As cadeiras, por exemplo, podem ter um baú embutido. Assim, é possível guardar sapatos, roupas de cama, bolsas e brinquedos nos próprios móveis.

Outro recurso muito utilizado nesse tipo de decoração é o espelho. Posicionado em locais estratégicos e em mais quantidade, ele ajuda a dar a ilusão de amplitude do local.

A dica para quem deseja apostar na decoração inteligente é direcionar um olhar analítico para a própria casa, pensando em locais que podem ser ocupados por itens multifuncionais. Por exemplo, o espaço embaixo das escadas pode se tornar um armário ou um cantinho de leitura com prateleiras, luminária e poltrona.

Decoração inteligente: tecnologia e modernidade

A tecnologia está presente em diferentes objetos e momentos do cotidiano. Na decoração, a inovação ajuda a firmar uma das vertentes do conceito inteligente.

No geral, essa ideia une a arquitetura, o design de interiores e a tecnologia para criar propostas funcionais e inovadoras com apenas alguns cliques. Segundo a Coldwell Banker, famosa franquia imobiliária dos Estados Unidos, uma casa ou cômodo que siga essa linha deve ter, além de eletrodomésticos que se conectam à internet, sistemas inteligentes na iluminação e climatização. Dessa forma, a proposta vai além dos itens de decoração e chega aos eletros e até mesmo em sistemas de segurança para a residência por completo.

Quando o assunto é decoração, o conceito ganha evidência na iluminação. Em ambientes internos e externos, as luzes trazem uma atmosfera diferente para o espaço e, com a ajuda da automatização, podem ser controladas conforme as necessidades e preferências específicas de cada morador.

cel nao mao
Iluminação controlada pelo celular valoriza itens decorativos de um ambiente (Foto: Reprodução/Philips)

Os LEDs podem ser utilizados atrás de objetos como quadros, prateleiras, estantes, televisores e outros eletrodomésticos para criar um espaço mais aconchegante. O interessante é que como todos os pontos de luz estão automatizados, o morador pode controlar a cor e intensidade pelo próprio celular durante uma visita de amigos ou familiares.