• Post category:Dicas

Quais os itens devem ser revisados na manutenção preventiva veicular? Saiba quando realizar a manutenção, qual a importância e os principais itens a serem avaliados durante a mesma.

Os veículos atuais têm em média mais de 50 mil peças, e apesar de todas elas serem importantes para o seu funcionamento, existem alguns elementos que devem ser verificados regularmente para continuar a percorrer distâncias médias e longas em segurança. Além disso, você evitará gastos inesperados em reparos de automóveis.

Quais os itens devem ser revisados na manutenção preventiva veicular?

Neste novo artigo do site, informamos quais são os elementos do seu veículo que você deve verificar regularmente para manter o bom desempenho e estado de conservação. Confira:

Quais itens devem ser revisados na manutenção preventiva?

A manutenção preventiva deve ser realizada com frequência regular de acordo com as recomendações do fabricante. O período ideal para realizar a manutenção é:

  • 5.000 km: Primeira revisão do veículo novo. 
  • 10.000 km: Segunda revisão do veículo.
  • 15.000 km: a terceira e próximas revisões do veículo podem ser realizadas a cada 15.000 km, no entanto, é preciso ficar atento aos sinais que o seu carro emite quando precisa de manutenção. 

Além de levar em consideração o período ideal para realizar a manutenção preventiva em carros de acordo com as recomendações do fabricante, o proprietário deve se atentar a quilometragem recomendada para realizar a troca de óleo e filtros, rodízio ou substituição dos pneus, pressão de calibragem adequada dos pneus, correia dentada, entre outros. 

Realizar a manutenção preventiva regularmente, além de manter a segurança e bom desempenho do veículo, evita possíveis acidentes e a necessidade de acionar o serviço de proteção veicular ou seguro auto

Depositphotos 10108335 S

A seguir, confira os itens avaliados na manutenção preventiva veicular:

1. Nível do óleo

O desempenho do seu carro depende em grande parte do nível de óleo. Cada fabricante tem suas próprias recomendações de verificação, mas na maioria dos casos é necessário fazê-lo em uma superfície plana e com o motor frio, para evitar uma leitura falsa na vareta.

Sem lubrificação, o atrito se acumularia e faria com que as peças móveis se desgastassem mais rapidamente. Dirigir um carro sem o nível de óleo adequado seria catastrófico para o motor e o sistema de transmissão. Peças importantes falham, forçando você a gastar quantias significativas de dinheiro em reparos e, na pior das hipóteses, você teria que substituir todo o motor.

2. Pressão dos pneus

Se os pneus não estiverem no estado correto de pressão, eles podem estourar durante a condução e causar alguma situação indesejada. Eles também podem deixá-lo encalhado no meio do caminho e afetar a eficiência do combustível. Por estas e outras razões, é muito útil verificar regularmente o estado dos pneus.

Você pode ir à sua oficina mecânica de confiança para medir a pressão de seus pneus, verificar a pressão em postos de gasolina ou comprar um medidor especial. Além de ser acessível e fácil de usar, esta ferramenta pode evitar um pneu furado ou outro contratempo. Não se esqueça de verificar todos os quatro pneus pelo menos uma vez por mês.

A pressão adequada de calibragem pode ser encontrada na lateral do pneu, no batente da porta do motorista ou no manual do veículo. 

3. Os freios

Entre todos os sistemas de segurança incorporados no carro, os freios são os mais decisivos para evitar acidentes. O problema é que poucos motoristas sabem detectar problemas nos componentes mecânicos, eletrônicos e hidráulicos que compõem o sistema de freios. Isso faz com que certas anomalias ou sinais de desgaste passem despercebidos.

Pedais duros ao toque, ruídos, vibrações, presença de ferrugem nos discos de freio ou necessidade de maior distância de frenagem ao parar o carro são apenas alguns dos sintomas de que o sistema de freio não está respondendo como deveria, o que precisa de uma revisão na oficina. As pastilhas de freio devem ser trocadas a cada 30.000 km. 

4. Fluido da direção hidráulica

Dirigir um carro sem direção hidráulica não é nada divertido. Este sistema é responsável por transmitir as manobras que você faz com o volante para as rodas. Como se faz? Através de um óleo que gera energia hidráulica e facilita mudanças de trajetória progressivas, rápidas e seguras.

Dada à importância da direção hidráulica, é essencial que o fluido esteja em condições ideais, caso contrário você precisará fazer mais esforço para se movimentar. Embora o fluido da direção hidráulica seja substituído a cada um ou dois anos, é aconselhável verificar se o óleo não está escurecido, cheira a queimado ou gera ruídos durante as manobras.

5. Arrefecimento

A operação do motor produz calor. É por isso que o líquido de arrefecimento é vital para manter o motor frio e dentro das temperaturas operacionais adequadas. Portanto, você deve sempre verificar o nível do líquido de arrefecimento do motor, para evitar superaquecimento, vazamentos e outras avarias.

Depois de um tempo, o líquido de arrefecimento geralmente perde sua capacidade de regular a temperatura. Estima-se que o líquido tenha vida útil de dois anos e percurso máximo de 40 mil km. No entanto, você deve realizar verificações periódicas a cada 10.000 km para evitar sujeira ou possíveis vazamentos.

6. Filtro de ar

Esta peça é bastante simples e barata, mas cumpre uma função essencial, pois mantém o motor livre de sujeira e contaminação do ar externo.

Os filtros de ar são feitos de celulose, espumas e algodão prensado, dentro de uma moldura de silicone. Eles são de forma retangular e dobrados como um acordeão. Se não for trocado a tempo, ele não filtra as partículas adequadamente, o que pode levar ao aumento do consumo de combustível e à redução da vida útil do motor. Tudo isso sem contar o aumento das emissões de gases poluentes no meio ambiente.

7. Luzes

Por fim, é essencial que você verifique as luzes do carro com frequência. Todas elas. Além de evitar possíveis acidentes de trânsito, também se poupa de receber uma multa. Certifique-se de que suas luzes de freio, piscas, luzes de ré, faróis, etc. funcione corretamente, para que outros motoristas e pedestres saibam o que você vai fazer e tomem as devidas precauções.

Você não precisa de grandes conhecimentos mecânicos para fazer uma verificação de rotina em suas luzes. O melhor que pode fazer é sempre ajustar a altura dos faróis (para melhor visibilidade), limpar a sujeira acumulada com água e sabão e substituir as luzes com alguma regularidade.

Observação: A primeira manutenção preventiva do veículo (carros novos) pode ser realizada em uma oficina que possui parceria com a concessionária onde comprou o veículo, no entanto, se desejar realizá-la em outra oficina, o aconselhável é não realizar a substituição de peças na mesma, a fim de se assegurar de que poderá acionar a garantia do veículo.