A iluminação faz toda a diferença no ambiente, mas com tantas opções como escolher a ideal? Descubra agora!

WhatsApp Image 2022 08 04 at 11.22.56
(crédito: divulgação)

A iluminação é uma das grandes responsáveis pela beleza, conforto e utilidade dos ambientes. Ela é capaz até mesmo de interferir, indiretamente, em nosso humor. Uma iluminação mais branca, por exemplo, causa atenção e despertamento, enquanto uma iluminação mais quente causa uma sensação de conforto e relaxamento!

Conheça os quatro tipos de iluminação

Luz natural: é a luz do dia que entra através de janelas e varandas e tem muitos efeitos positivos em nossa saúde e bem estar. É importante aproveitar o máximo possível dessa iluminação. Paredes e móveis claros também ajudam a refletir essa luz.

Luz ambiente: é a luz conhecida de todos, que fica no teto de cada ambiente, podendo ter um único ponto, ser dividida em spots ou instaladas em trilhos.

Iluminação específica: iluminação instalada diretamente em algum ponto, como em uma mesa de trabalho ou na cabeceira da cama.

Iluminação de realce: instalada em locais estratégicos para realçar algum detalhe específico. Pode ser utilizada em prateleiras, quadros e outros ambientes.

Temperatura da iluminação

Além dos tipos citados, um fator extremamente importante é a temperatura da iluminação, que podem ser mais frias (brancas) ou quentes (mais amareladas). Ambientes como cozinhas e banheiros podem pedir uma iluminação mais fria, porém é importante ficar atento para não deixar os ambientes extremamente frios, parecendo um laboratório.

Se possível, opte pelas lâmpadas brancas neutras, que são intermediárias entre frias e quentes! Já nos ambientes que demandam mais conforto, a iluminação mais quente cai perfeitamente!

Como escolher a iluminação de cada ambiente

Que a iluminação transforma ambientes já sabemos, agora vamos entender qual o tipo de iluminação recomendada para cada ambiente da casa.

Sala de estar ou sala de TV: é um ambiente que não exige uma iluminação extremamente branca e fria, pelo contrário, o foco é o conforto, bem-estar e relaxamento. Por isso, é recomendado complementar a clássica iluminação do teto com luminárias de mesa ou de piso, proporcionando uma luz indireta e confortável quando for o caso, como a luminária plafon.

Cozinha: para a cozinha, é importante avaliar a rotina dos moradores. Se for uma rotina em que cozinhar é um hábito diário, o recomendado é utilizar uma iluminação mais clara e fria, assegurando pontos de iluminação que evitem fazer sombras no ambiente. Caso a rotina seja mais leve e o ato de cozinhar não seja frequente, a iluminação quente também pode ser uma opção.

Sala de jantar: assim como a sala de TV, também exige um conforto, mas com atenção para não deixar o ambiente escuro. O recomendado é um lustre ou pendente sobre a mesa de jantar, complementando a luz ambiente.

Quartos: também é recomendado manter a luz ambiente no teto para ter uma boa iluminação no dia a dia, porém o mais recomendado é uma luz quente para trazer a sensação de conforto. Além disso, é interessante utilizar pontos de luz específicos como na cabeceira da cama ou um abajur complementar.

Banheiros: por ser um ambiente que utilizamos cuidados pessoais, quanto mais luz, melhor! Aposte na iluminação fria.

Seguindo essas dicas, a iluminação da sua casa será uma aliada na decoração, além de trazer uma sensação de conforto e bem-estar em cada ambiente!